sábado, 14 de janeiro de 2017

Ententa o que é a Crise do Brasil e a Crise da Petrobrás

Análise profunda do caso Dilma e Lula dentro da Operação Lava Jato e da queda do Brasil na economia mundial.

http://3.bp.blogspot.com/-WVlwOm-7ASc/VG8gHLRQT1I/AAAAAAAAIG8/3LrjR7kYqns/s1600/THE%2BECONOMIST%2Bcritica%2BGoverno%2Bde%2BDilma%2Bdo%2BPT%2Be%2Bdiz%2B%2Bque%2BBrasil%2Bvai%2B%2Bcorre%2Brisco.png


(Blog do Rafael Oliveira - 14 de Janeiro de 2017) A compra pela Petrobras da refinaria de Pasadena, EUA, levantou suspeitas na época de superfaturamento e evasão de divisas na negociação. Mas o caso ganhou ainda mais repercussão porque, na época, quem presidia o Conselho de Administração da Petrobrás (quem deu o aval a compra) era Dilma Rousseff. A compra de parte da refinaria teria custado aos cofres públicos o valor de US$ 360 milhões, sendo que a refinaria inteira custa US$ 42,5 milhões. Porém, algumas crises com a outra dona da refinaria, fizeram com que o país desembolsasse US$ 1,18 bilhão. Na época então começaram-se as investigações de superfaturamento. Nestor Cerveró inclusive denunciou em delação que Dilma sabia de tudo, apesar que Pasadena não faz parte oficialmente das investigações da Lava Jato.



Após isso, uma série de corrupções aconteceram dentro da estatal, principalmente com uma rede de doleiros que atuavam em vários estados, envolvendo vários políticos no país. Com isso, os diretores e funcionários da Petrobrás cobravam propina de empreiteiras e outros fornecedores para facilitar seus negócios com a estatal, os contratos eram superfaturados para permitir o desvio de dinheiro dos cofres da Petrobrás. O esquema trazia benefícios até mesmo para partidos políticos, como o PT. Em 2017, um levantamento realizado por peritos da Polícia Federal identificou que as operações financeiras investigadas na Operação Lava Jato somaram 8 trilhões. 

Uma das mais beneficiadas foi a Odebrecht. Porém Marcelo Odebrecht afirmou em delação que Dilma pediu pessoalmente uma doação de R$ 12 milhões para sua campanha eleitoral em 2014. De acordo com a revista Veja e o jornal o Estado de São Paulo, Odebrecht também afirmou que a reeleição de Dilma foi financiada com propina depositada em contas no exterior. De qualquer maneira, a denúncia também atrapalha os planos do atual presidente, Temer, já que ele fazia parte da mesma chapa.

Ao mesmo tempo também há várias acusações contra o ex-presidente Lula dentro da Operação Lava Jato. Lula já é réu em mais de quatro ações penais, uma delas por tentar comprar o silêncio de Nestor Cerveró. O mesmo também é acusado de receber R$ 3,7 milhões da Odebrecht e que o estádio da Copa de São Paulo foi um presente por suas ajudas com a empresa. Para tentar acabar com as investigações, Lula inclusive tentou ser ministro, buscando imunidade parlamentar, sendo o estopim para a crise do governo Dilma, quando alguns brasileiros estranharam a situação e deixaram de apoiar o candidato a presidência de 2018.

Vale ressaltar que em todo esse período, Dilma, trabalhou como: Chefe do Conselho da Petrobrás, Ministra de Minas e Energia (2003 a 2005), Ministra da Casa Civil (2005 a 2010) e presidente da república (2011 a 2016). E essas crises citadas também foram o estopim para a crise financeira do país.

O ex-presidente Lula, que assumiu do presidente anterior um país forte com a inflação, com o crescimento forte do real e com a sorte dos commodities a favor do país, estava também no auge das negociações com a China, o que resultou a popularidade de Lula. Com isso, o país estava próspero e mais pessoas saíram da pobreza e a classe média cresceu como nunca. Durante a crise norte-americana de 2008, o Brasil estava "rindo a toa". 

Porém, o Brasil começou a investir muito em certos mercados e desvalorizou outros (como o próprio norte-americano). A produtividade investida pelo Governo Federal começou a não acompanhar o consumo. A política fiscal começou a ficar mais austera, elevando as taxas de juro. Ao mesmo tempo que o Governo Federal gastava muito dinheiro com coisas desnecessárias e não investia em atividades visando o futuro da nação e gastava milhões com políticas de populismo sem resultado a longo prazo, além de ser o mesmo período que começou a acontecer o aumento da dívida pública, as famílias começaram a se endividar e a crise começou a crescer e se tornar realmente uma realidade no Brasil. A crise da Petrobrás começou a crescer, principalmente devido o rombo da corrupção dentro da nossa estatal mais famosa e aumentando a incerteza de investimentos exteriores no país. Levando a situação brasileira que nós vivemos agora. Nesse período de crise, Dilma assinou documentos sem a autorização do legislativo, tomando decisões sozinha que afundaram ainda mais o país. 

Vale ressaltar que mesmo com economistas preocupados com uma futura crise, o governo Lula/Dilma perdoou dívidas de outros países, mas não de estados brasileiros. Lula ainda construiu um porto pra Cuba no valor de R$ 1 bilhão. Quem foi a construtora do porto? Odebrecht. Houveram ainda muitos outros investimentos desse tipo em Cuba e Venezuela. Vale ressaltar que esses dois países fizeram campanha a favor de Dilma e até mesmo ainda não aceitaram Temer como presidente. Vale ressaltar que esse porto não trouxe qualquer benefício ao Brasil, inclusive Cuba na era Lula era apenas o 51º maior parceiro comercial. Após o fim da construção, Cuba vendeu o porto e ficou com todo o dinheiro da venda.

Até onde Lula e Dilma são santos ou culpados? Será que a dupla de presidentes são corruptos ou apenas incompetentes? Isso é algo que apenas a justiça brasileira e a opinião pública dos brasileiros poderão dizer a longo prazo.



Fontes: Veja, Estado de São Paulo, Folha de São Paulo, Exame, Agencia Brasil, EBC, The Economist, Wallstreet Journal, New York Times, Los Angeles Times, The Guardian e www.lavajato.mpf.mp.br
Material escrito e publicado para o Blog do Rafael Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui para deixar um comentário. Caso você não tiver uma conta Google, assine o seu nome abaixo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta o nosso site com o facebook e Google+