terça-feira, 30 de agosto de 2016

Turismo na Zona Portuária

Região Portuária do Rio e sua evolução turística

(Blog do Rafael Oliveira - 30 de Agosto de 2016) Uma das grandes novidades e legado das Olimpíadas de 2016 será a transformação do Centro do Rio, principalmente na região portuária. Um local que antes era abandonado e perigoso da cidade, tornou-se no maior ponto turístico durante os jogos olímpicos.

Foram, nesse período, 4 milhões de visitantes, 100 horas de transmissão ao vivo, 110 horas de atrações musicais, mais de 900 artistas de rua, mais de 5 mil voos no Balão Panorâmico da Skol, mais de 1100 saltos  no bungee jump Nissan, milhares de visitas aos museus temporários, milhões de fotos postadas nas redes sociais, 1 tonelada de fogos de artifícios e muito mais.

Uma das grandes novidades será a inauguração do AquaRio, o aquário do Rio de Janeiro. Esse será o maior da América Latina. O espaço também ganhará 20 tubarões-bambu, vindo da Indonésia e conhecido como o "tubarão que anda", devido a maneira que se locomove na água. A previsão de inauguração é ainda para esse ano.

A região também continuará a ter uma das maiores regiões culturais da cidade, como o Museu do Amanhã (projeto do arquiteto espanhol Santiago Calatrava), o  Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR), o Centro Cultural José Bonifácio, a Igreja São Francisco Prainha, entre outros. A região também está recebendo ciclovias, um túnel de mais de 4km de extensão e várias novidades. Ali perto também está a Cinelândia, a Igreja da Candelária, a Avenida Rio Branco, a Casa França Brasil, etc. Uma região que sozinha há mais turismo e cultura que a maioria das cidades do Brasil sozinha.

O famoso mural de 3 mil metros, o maior do mundo, continuará a ser fotografado após os jogos. Durante as paralimpíadas, algumas das atrações olímpicas do Boulevard Olímpico continuarão, até mesmo a Pira voltará a ser acesa.

O sistema de segurança da região continuará, segundo a Prefeitura, e o VLT receberá toques finais. A região também receberá mega eventos, como o Arte Rio, Rio Gastronomia, a Semana de Moda do Rio e o  Mondial de La Biére. O local também receberá restaurantes e uma das grandes novidades é o sonho da RioTur em transformar o local no mais novo ponto da virada do ano, com queima de fogos e festa.

domingo, 28 de agosto de 2016

Ilha do Governador ganhará VLT

 Planos de Mobilidade no Rio de Janeiro

 (Blog do Rafael Oliveira) O VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ganhará sua primeira expansão para a Ilha do Governador, segundo a Prefeitura do Rio de Janeiro.  O projeto vai beneficiar mais de 200 mil pessoas, empregar mais de 2 mil e ainda será mais uma integração com a Transcarioca, Galeão e Barcas do Cocotá. Serão 21km de extensão

Segundo a Prefeitura, há projetos futuros também para expandir o VLT para a Zona Sul, saindo da Cinelândia, passando por Catete, Flamengo, Botafogo, Jardim Botânico, Lagoa e terminando no Planetário da Gávea.

No Plano de Mobilidade Urbana Sustentável (Pmus) da cidade, sugerido pelos cariocas, há também a criação de um BRT na Linha Amarela, a extensão do Transbrasil para Santa Cruz e VLT para a Barra da Tijuca (Entre o Jardim Oceânico e o Terminal Alvorada, passando pela Avenida Lúcio Costa). Esses projetos do Pmus ainda não foram oficializados pela Prefeitura.


quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Eleições 2016

Prefeitura do Rio de Janeiro: Hoje haverá Debate na Band


Agora que as olimpíadas terminaram, o Rio começa a se preparar para o início oficial das paralimpíadas, assim como para o período eleitoral.

A cidade infelizmente vai perder muito  das placas Rio2016 e vai receber as velhas placas de políticos espalhadas por diversas casas na cidade, um problema não apenas no Rio, mas comum no Brasil. De qualquer maneira, esse é o último ano de Eduardo Paes como Prefeito no Rio, prefeito que divide opiniões positivas e negativas no meio da população carioca e dos moradores da cidade. É um período delicado, já que em breve a população vai eleger aquele que será o administrador da cidade para os próximos anos, com vários desafios (engarrafamento, educação, saúde, fortalecimento da economia) e manutenção (transporte, visão da cidade, programas, etc).

Os candidatos desse ano são Alessandro Molon (Rede), Carlos Roberto Osorio (PSDB), Flávio Bolsonaro (PSC), Índio da Costa (PSD), Jandira Feghali (PCdoB), Marcelo Crivella (PRB), Marcelo Freixo (PSOL) e Pedro Paulo (PMDB). O primeiro debate será na Band, hoje, às 22h, com a participação desses citados, exceto Freixo.

Esse debate será a primeira oportunidade oficial para conhecer o perfil de cada candidato, assim como as suas propostas iniciais. Em breve mais informações aqui no blog.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Sucesso no Encerramento das Olimpíadas

 O que diz a mídia estrangeira sobre o fim da Rio-2016



 cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro - marcada por uma festa com muita música e alegria dos atletas – foi um verdadeiro banquete aos olhos da mídia estrangeira. 
Desde ontem, o maior evento esportivo do mundo segue entre as principais notícias dos jornais europeus, americanos e argentinos.

O americano The New York Times diz que, apesar das queixas em torno da Rio-2016, a cidade está “mudada, se não renascida”.

“Colocando as críticas de lado, os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio alteraram profundamente a cidade, produzindo um porto revitalizado, uma nova linha de metrô e uma onda de projetos municipais (grandes e pequenos) que estavam há muito tempo na lista de espera”, diz o texto.

O jornal ainda destaca que em meio a pior recessão do Brasil em décadas, a Olimpíada também serviu como “um poderoso catalisador para a revitalização urbana que estimulou projetos de infraestrutura, financiados com dinheiro dos contribuintes e investimento privado, que vão melhorar as vidas dos moradores do Rio”.

Já o argentino Clarín afirmou que o Rio terminou o megaevento com “uma festa espetacular em sua primeira Olimpíada na América do Sul”.

“Não havia ninguém parado ou saindo do Maracanã sem cantarolar o ritmo universal de alegria. A música foi o grande protagonista dessa festa inesquecível”, diz o jornal.

Na Inglaterra, o britânico The Guardian diz que apesar das preocupações iniciais com o vírus da Zika, assentos vazios e doping, “o Rio de Janeiro entregou momentos de graça e pureza, onde a realização atlética se sobrepôs ao resto”.

O outro americano, Washington Post, elencou algumas críticas. “Nós [do jornal] passamos por alguns dos problemas que o Brasil enfrenta enquanto estávamos no Rio – agora que o show saiu da cidade, a maioria deles está muito longe de acabar. Apesar disso, o país pode olhar para trás com imenso orgulho de sua performance”, diz a publicação.

O francês Le Monde diz que com o fim dos Jogos, o Brasil vira uma página de sua história da qual “demonstrou capacidade de organizar o maior evento esportivo do mundo, apesar dos riscos plíticos, de segurança e de saúde que pairam sobre o país”.

 “Com exceção da mentira contada pelo nadador norte-americano, Ryan Lochte, nenhum drama manchou os Jogos nessa última quinzena”, diz o texto.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Zona Oeste será dividida em duas partes

Câmara decide dividir a Zona Oeste em duas partes



(Blog do Rafael Oliveira - 23 de Agosto de 2016) No dia 15 de Agosto, publicamos aqui nese blog, um projeto de lei (PROJETO DE LEI Nº 1369/2015) discutido na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, que pretendia excluir os bairros de Jacarepaguá e Barra como zona oeste do Rio de Janeiro.

A Câmara publicou hoje a decisão desse projeto e decidiu manter todos os bairros antes citados na Zona Oeste, mas agora com as nomenclaturas de Zona Oeste Norte e Zona Oeste Sul.

Art. 1º Define a delimitação de abrangência da área denominada de Zona Oeste da Cidade do Rio de Janeiro em Zona Oeste-Norte e Zona Oeste-Sul.

§1º. A Zona Oeste-Norte será composta dos bairros que delimitam a área de abrangência da subprefeitura da Zona Oeste, AP-5, composta pelas:
    a) XVII Região Administrativa - RA da Grande Bangu: Bairros de Bangu, Gericinó, Padre Miguel, Santíssimo e Senador Camará;
    b) XVIII Região Administrativa - RA de Campo Grande: Bairros de Campo Grande, Cosmos, Inhoaíba e Senador Vasconcelos;
    c) XIX Região Administrativa – RA de Santa Cruz: Bairros de Paciência, Santa Cruz e Sepetiba;
    d) XXVI Região Administrativa – RA de Guaratiba: Bairros de Guaratiba, Barra de Guaratiba e Pedra de Guaratiba;
    e) XXXII Região Administrativa – RA de Realengo: Bairros de Deodoro, Magalhães Bastos, Realengo, Jardim Sulacap, Campo dos Afonsos e Vila Militar.
§2º. A Zona Oeste-Sul será composta dos bairros que delimitam a área de abrangência da Subprefeitura da Barra da Tijuca e Jacarepaguá, AP-4, composta pelas:
    a) XVI Região Administrativa - : Jacarepaguá, Anil, Curicica, Freguesia, Tanque, Gardênia Azul, Jacarepaguá, Pechincha, Praça Seca, Taquara, Vila Valqueire;
    b) XXIV Região Administrativa – Barra da Tijuca: Barra da Tijuca, Itanhangá, Joá, Recreio dos Bandeirantes, Camorim, Grumari, Vargem Grande e Vargem Pequena;
    c) XXXIII Região Administrativa – Cidade de Deus: Cidade de Deus.

Foi decidido também que não haverá alterações nos impostos para as duas regiões. A lei já está em vigor.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Ônibus de dois andares no Rio

Rio terá ônibus turístico de dois andares



(VEJA) Seguindo os passos de cidades mundiais como Londres e Nova York, o Rio terá, segundo a Rio Ônibus, um serviço oficial de sightseeing, que será apresentado na segunda (15). Trata-se daqueles ônibus com dois andares e sem capota que visitam pontos turísticos locais.

Por aqui, o circuito disponível, com guias bilíngues a bordo, é da General Osório, em Ipanema, até a Praça Mauá, na Zona Portuária.

Niterói ganha mais uma obra de Niemeyer

Construção de igreja evangélica de Niemeyer começa nos próximos dias

 

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, reuniu-se, na tarde desta segunda-feira (15), com pastores e representantes da Igreja Adventista do Sétimo Dia para tratar dos últimos detalhes antes do início da construção da Templo adventista no Caminho Niemeyer, localizado no centro da cidade.

Com a construção da igreja – que deve começar nos próximos dias –, o conjunto arquitetônico desenhado por Oscar Niemeyer retoma sua versão original, com uma catedral católica e um templo evangélico.
Os investimentos da construção virá de empresas particulares. A igreja evangélica terá capacidade para 1,5 mil pessoas.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Lucro Olímpico

Os Jogos Olímpicos de 2016 devem gerar  receitas de R$ 2,68 bilhões ao turismo do Rio de Janeiro entre agosto e setembro.



Segundo  CNC (Confederação Nacional de Comércio de Bens, Serviços e Turismo) serão quase 1,4 milhão de turistas brasileiros e estrangeiros nesse período.

O segmento de alimentação deve responder por 34,5% da receita total gerada. Bares, restaurantes e lanchonetes devem ficar com R$ 927,1 milhões, seguidos por transporte rodoviário de passageiros, com R$ 738 milhões, e pelas atividades artísticas, esportivas e de lazer, com R$ 474,1 milhões.

Segundo a CNC, os três segmentos responderão por quase 80% da receita durante os Jogos. Apenas os estrangeiros devem gastar em todo o País US$ 1,04 bilhão, o equivalente a R$ 3.089 por visitante, valor que considera a taxa de câmbio a R$ 3,33.

A pesquisa avalia ainda que durante a Copa do Mundo, realizada no Brasil entre junho e julho de 2014, circularam 1,04 milhão de visitantes internacionais, turistas que desembolsaram US$ 1,58 bilhão no período.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Turismo Olímpico

 Cresce a quantidade de turistas na Cidade Olímpica



(Blog do Rafael Oliveira) O Rio de Janeiro sempre foi a capital turística nacional, com a maior quantidade absoluta de turistas internacionais no país, seja para negócios como para - principalmente - lazer.

As Olimpíadas de 2016 vão alavancar ainda mais isso. Segundo o site de turismo Decolar.com, a Cidade Maravilhosa terá, durante todo o mês de agosto, os hermanos, da Argentina, como o maior público turístico da América Latina, mas também teremos muitos visitantes do Chile, México, Colômbia e Peru.

No final de junho, a demanda por produtos para a cidade dos cariocas já era 30% maior do que no ano passado.

Publicidade
A maioria dos visitantes da América Latina vão se hospedar no Rio de Janeiro por mais dias. A tendência foi associada às Olimpíadas, já que cerca de 89% das reservas gerais realizadas em agosto do ano passado não chegavam a 7 dias de estadia. Para 2016, se multiplicaram por 2,63% o número de turistas que permanecerão entre 8 e 14 dias.

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro devem gerar US$ 200 milhões em despesas extras de turistas entre julho e setembro. A estimativa foi feita pelo Banco Central.

“Existem outros ganhos decorrentes dos Jogos, como os de exposição do País, de turismo, além de outros efeitos de mais longo prazo”, ponderou Tulio Maciel, um dos chefes do Banco Central.

Agora a Prefeitura já começou o investimento para manter a alta de crescimento turístico na cidade, mesmo após as Olimpíadas.

Rio recebe 'hospitality houses' de vários locais do mundo

Rio2016 recebe casas de diversos pontos do mundo que promovem diversão e cultura


(Blog do Rafael Oliveira - 18 de Agosto de 2016) Uma das grandes vantagens de se visitar uma cidade em clima de olimpíada é o rápido intercâmbio mundial que se pode fazer em apenas um lugar. Há turistas do mundo inteiro invadindo as ruas cariocas nesses momentos, um período que podemos ouvir pessoas de várias línguas em cada canto da cidade.

Nesse período, a cidade está recebendo também 52 hospitality houses, casas temáticas que vão promover cultura, turismo, gastronomia, esporte e negócio de seus países, além de transmitirem as principais competições ao vivo, com casas da França, México, Dinamarca, entre outros.

Além dessas casas, há também dois estúdios de TV. O primeiro é o Estúdios Ipanema View, das TVs suíça e austríaca, no Arpoador, e o Estúdio NBC, dos Estados Unidos, na Praça Almirante Júlio de Noronha, no Leme.

Em 2008 (Pequim) e 2012 (Londres), essas casas foram os locais mais procurados pelos turistas. Essas casas estão espalhadas pelo Centro, barra da Tijuca e zona sul. Algumas são fechadas a autoridades e atletas (como é o caso dos EUA), mas a grande maioria é aberta ao público.

As únicas pagas são a casa francesa, Casa da Holanda, Casa do Catar e Casa da Jamaica. Cada casa
deixará um legado para a cidade, a Suíça irá reformar o campo de baseball da Lagoa, por exemplo, assim como a Federação Internacional de Vôlei (FIVB) vai recuperar a Escola Municipal Cícero Pena, que ocupará em Copacabana. 

A Casa Brasil está em dois antigos armazéns na Região Portuária com venda de café, chocolate, cachaça e vinho brasileiros, além de contar com simuladores de realidade e atividades esportivas. 

A Casa Portugal trouxe o Navio Escola Sagres, que poderá receber até 10 mil visitas por dia. A embarcação foi construída em 1937 e ficará atracada na Ilha das Cobras entre os dias 3 e 21 de agosto. 

A Casa Alemanha OliAle terá  shows, happy hours, exposição permanente sobre sustentabilidade, quiosques de comida e cerveja alemã, espaço para fotos, torneios esportivos com premiações, ofertas de atividades esportivas e lúdicas (slackline, totó, vôlei, futevôlei, altinho, basquete, tênis de mesa), sorteios, intervenções artísticas e telões para transmissão dos jogos.

A Casa Austria está na sede do clube Botafogo e funcionará até 21 de Agosto com entrada gratuita. Ali há música e culinária típica, um ambiente austríaco em um típico Gastgarten. Todos os pães e bolos da casa serão feitos em uma padaria montada no próprio local.

O Catar vai transformar o edifício histórico da Casa Daros em um típico mercado árabe, onde será possível desfrutar de shawarmas (prato servido no pão sírio com legumes e outros acompanhamentos) e se pintar com henna.

Na Casa da Suíça, os visitantes poderão patinar no gelo em uma pista de 200 metros quadrados e degustar chocolates, raclette e outras iguarias. O espaço será montado na Lagoa, onde também funcionou o Baixo Suíça durante a Copa do Mundo de 2014. Entre as atividades oferecidas estão piqueniques, transmissão dos jogos ao vivo em uma tela gigante, e um globo de neve simulando os Alpes.

Na da Grã Bretanha, no Parque Lage, a entrada será mediante a um registro no site oficial: www.britishhouserio.com. Haverá palestras, eventos culturais e até duas festas de gala para comemorar os resultados dos atletas.

E por aí vai...

Abaixo está o endereço de cada uma das casas:

Barra da Tijuca

  •  África – Avenida Ayrton Senna, 2150 – Casa Shopping (Saiba mais sobre a Casa África)
  • Japão Tokyo 2020 – Avenida das Américas, 5300 – Cidade das Artes
  • República Checa – Avenida das Américas, 3434 – Centro Empresarial Mario Henrique Simonsen

Centro / Porto

  • Austrália – Praça Quinze de Novembro, 20 – Centro de Convenções da Bolsa do Rio – Centro
  • Colômbia – Praça Marechal Ancora, 15 – Centro Cultural Ministério da Saúde – Centro  (Saiba mais da Casa Colômbia)
  • Japão – Tokyo Metropolitan Government – Praça Quinze de Novembro, 48 – Paço Imperial – Centro
  • México – Praça Marechal Ancora, s/n – Museu Histórico Nacional – Centro (Saiba mais da Casa México)
  • Correios (patrocinador) – Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro Cultural dos Correios – Centro
  • Casa Brasil – Via Expressa (antiga Avenida Rodrigues Alves), 10 – Armazém 2 – Píer Mauá, Gamboa
  • Coca-Cola (patrocinador) – Armazém 3 – Pier Mauá, Gamboa (saiba mais sobre a Parada Coca-Cola)
  • Espaço Rio de Janeiro – Via Expressa (antiga Avenida Rodrigues Alves), 303 – Fábrica de Espetáculos do Theatro Municipal – Zona Portuária
  • NBA (entidade esportiva) – Via Expressa (antiga Avenida Rodrigues Alves) – Armazém 6 – Píer Mauá, Gamboa (saiba mais sobre a Casa NBA)
  • Portugal – Navio Escola Sagres – Cais da Portuguesa – Ilha das Cobras

Zona Sul

  • Alemanha Oli Ale – Praia do Leblon, altura do Jardim de Alah
  • Áustria – Avenida Venceslau Brás, 72 – Clube de Regatas Botafogo, General Severiano – Botafogo
  • Catar – Rua General Severiano, 159 – Casa Daros Rio – Botafogo (saiba mais sobre a casa Qatar)
  • Dinamarca – Praia de Ipanema, na altura do Jardim de Alah (saiba mais sobre a Casa Dinamarca)
  • França – Avenida Lineu de Paula Machado, 2448 – Sociedade Hípica Brasileira – Lagoa (saiba mais sobre o Club France)
  • Holanda – Avenida Borges de Medeiros, 701 – Clube Monte Líbano – Lagoa
  • Hungria – Budapeste 2024 – Tribuna C do Joquey Clube – Gávea
  • Jamaica – Praça Santos Dumont, 31 – Restaurante Prado Grill – Gávea (saiba mais sobre a Casa Jamaica)
  • Panasonic (patrocinador) – Praia Vermelha – Urca
  • PyeongChang 2018 – Avenida Atlântica, s/n – Quiosque na Praia de Copacabana com Orla Rio –
  • Suíça – Campo de Baseball – Lagoa, altura do Corte de Cantagalo (saiba mais sobre o Baixo Suíça)
  • Technogym (patrocinador) – Posto 10 – Ipanema

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Potencial Energético Fluminense

Rio é o estado que tem maior potencial para mudança para mercado livre



Esse é uma daquelas publicações polêmicas, principalmente para quem é de fora. Mas é certo que o Rio de Janeiro, há pelo menos 2.000 empresas de médio porte, principalmente do varejo, como shoppings, hotéis e supermercados, que poderiam comprar energia elétrica entre 25% e 26% mais barata do que o cobrado pelas distribuidoras locais (Light e Ampla). Essas empresas, que têm contratos com as concessionárias para a compra de 500 quilowatts (kW) até 3 mil kW por mês, poderiam sair do mercado cativo e ir para o mercado livre e escolher a geradora para comprar energia oriunda de fontes limpas, como Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), biomassa, eólica, solar.

Esta é uma das conclusões obtidas pelo Grupo Federal Energia. O estudo disse que o Estado do Rio ficou em primeiro lugar no ranking, com a maior atratividade para que os consumidores passem a usar energia limpa e renovável, com tarifas menores do que no mercado cativo. O ranking cobriu 98% do mercado cativo de energia do país.

— O lado positivo de ser o primeiro no ranking é que mostra a oportunidade de redução de custos das empresas fluminenses e o consequente ganho de competitividade. Mas, por outro lado, mostrou que os consumidores fluminenses estão submetidos a tarifas altas no mercado cativo quando comparado com o restante do país — explicou Azevedo.

Segundo o executivo, a ideia de criar o índice surgiu da necessidade da empresa de identificar as regiões com potenciais consumidores que poderiam trocar o mercado cativo pelo mercado livre. Para ele, o ranking se tornou um instrumento para que os consumidores conheçam as vantagens de escolher de quem compram a energia.

O foco do índice são empresas que podem se tornar “consumidores especiais” no mercado livre, isto é, consomem entre 500 kW e 3 mil kW por mês. Nessa categoria os clientes devem contratar apenas energias de fontes renováveis. O objetivo dessa obrigação é estimular o desenvolvimento das fontes limpas. Nessa faixa de consumo estão comércio e indústrias de médio porte. A outra categoria do mercado livre é para gasto acima de 3 mil kW, que abrange médias e grandes empresas e indústrias.
‘“O lado positivo de ser o primeiro no ranking é que mostra a oportunidade de redução de custos das empresas fluminenses”’
- Erick de AzevedoSócio-fundador do Grupo Federal Energia e coordenador do índice

Azevedo explicou que, tal qual o modelo do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), da ONU, o índice da energia é calculado em um intervalo de zero (para a menor atratividade) e 1, para a maior atratividade. No primeiro semestre, o índice nacional atingiu 0,853. No ranking dos estados, o Rio lidera, com 0,972, seguido por Mato Grosso (0,952), Paraná (0,948), Santa Catarina (0,904) e Goiás (0,890).

Pelos cálculos do grupo, uma demanda contratada de 1 mil kW e consumo mensal de 110 mil kWh, já considerando todos os tributos e encargos, o custo da tarifa vendida pela Light por Megawatt/hora (MWh) é de R$ 913,46, enquanto que, no mercado livre, custaria R$ 687,90, ou 24,69% menos. Já a energia vendida a esses consumidores da Ampla no mercado cativo custa R$ 875,52 o MWh, enquanto que no mercado livre o custo é de R$ 649,95, 25,76 % menor. A diferença entre os valores praticados nesses casos no mercado livre se deve à diferença no que cada distribuidora cobra para permitir que a energia comprada nesse mercado seja entregue à empresa pela sua rede.

A Light explicou que suas tarifas são definidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Segundo a companhia, no último reajuste, em 2015, o custo de compra de energia foi elevado, especialmente devido ao efeito da alta do dólar nas tarifas de Itaipu, que representa 17% da energia comprada pela Light. A distribuidora destacou, contudo, que neste ano houve redução das despesas com a compra de energia, que deverá ser incorporada no próximo reajuste. A Ampla não comentou.
O executivo do Grupo Federal Energia explicou que, no mercado livre, os contratos podem ser de curtíssimo prazo, de um mês, por exemplo, mas a maioria faz acordos de três a cinco anos com preços fixos das tarifas, sem se sujeitarem a reajustes anuais como no mercado cativo.

(Jornal O Globo)

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Jacarepaguá e Barra saem da Zona Oeste do RJ

 Projeto de Lei pretende retirar Barra e Jacarepaguá como bairros da Zona Oeste


(Blog do Rafael Oliveira - 15 de Agosto de 2016) Apesar das diferenças geográficas e estruturais, os bairros de Jacarepaguá e Barra fazem parte da zona oeste do Rio de Janeiro, mas não por muito tempo de se depender dos vereadores do município. O projeto de Lei Nº 1369/2015 do vereador Marcelino D'Almeida (PMDB) retira os dois bairros citados da Zona Oeste.

O projeto já aprovado em Primeira Discussão tem como finalidade, na opinião do vereador, a consolidação da "delimitação de abrangência da área denominada de Zona Oeste da Cidade do Rio de Janeiro“ e “tem por finalidade resgatar os bairros que compõem a abrangência da Subprefeitura da Zona Oeste, como os únicos que delimitam verdadeiramente essa região da Cidade, para que não mais se faça a confusão de dizer que os bairros da Barra da Tijuca e Jacarepaguá também pertencem a região da Zona Oeste”.

A ideia do vereador é desconcentrar os investimentos ligados a zona oeste apenas na Barra e Jacarepaguá, mas a zona oeste receber um olhar diferenciado além desses dois bairros. 

— Os próprios moradores dessa área não dizem que são da Zona Oeste, e sim, da Barra — argumenta o vereador.

O projeto não cita ainda para onde esses bairros iriam, mas possivelmente, segundo alguns jornais cariocas, será chamado de Zona Leste. Somando-se os bairros de Recreio dos Bandeirantes, Vila Valqueire e as vargens.

Essa não é a primeira vez que essa região sofre esse tipo de "crise de identidade". A região já passou plebiscito que decidiu se a região se tornaria uma cidade emancipada em 1988, além do Projeto de Lei  807/2010 que defendia a mudança do nome da região para Barra Olímpica. O próprio  plano urbanístico lançado pelo arquiteto Lucio Costa em 1969, que nortearia o traçado da Barra da Tijuca atual, previa que a região, por sua localização, passasse a ser o Centro da cidade, enquanto o doutor Carlos Eduardo Nunes-Ferreira argumenta que a região está geograficamente na zona sul da cidade.

A programação do Boulevard Olímpico

Boulevard Olímpico é novo point carioca


(Blog do Rafael Oliveira - 15 de Agosto de 2016) Os turistas e cariocas tem conhecido um novo ponto turístico no Rio de Janeiro. Região que já foi conhecida pelo seu abandono e esquecimento, o Boulevard Olímpico, na zona portuária, está agora vivendo uma nova realidade: a badalação e movimentação dia e noite.

O espaço possui mais de 3 quilômetros de extensão e já é o maior Live Site da história olímpica. Nele há transmissão ao vivo das competições em telões de alta definição, shows de grandes nomes da música brasileira, queima de fogos, troca de pins internacionais, balão panorâmico da skol (que sobe até 150 metros com inscrições online), o bungee jump da Nissan, a maquete do Rio feita em lego, lojas da samsung e nike, parada coca-cola e a pira olímpica, além dos museus da região (como é o caso do Museu do Amanhã)

Há também festas temáticas aos domingos (das 18h às 0h), o mural Inside Out (idealizado pelo francês JR, realizado por Eduardo Kobra e que estará no  Guinness de maior painel do mundo com 2.500m), o museu da Bradesco Seguros que fala da história das Olimpíadas, encontro de escolas de samba, 50 food trucks, quiosques, entre outras coisas.

domingo, 14 de agosto de 2016

Final dos 100m rasos no Rio2016

Serão pouco menos de dez segundos, às 22h25 desta noite, em que o mundo estará parado, com os olhos para os 100m rasos de pista do Engenhão, sob o impacto de ver a consagração definitiva de Usain Bolt, num inédito tricampeonato olímpico da prova que coroa o homem mais rápido do mundo, ou — o que talvez seja ainda mais histórico — assistir à derrota de quem carrega a aura de imbatível.
É muito mais do que o frisson de ver a disputa mais ansiada dos Jogos. Os 100m rasos para homens são a prova mais rápida de todo o programa olímpico e, na atual conjuntura, concentram uma dicotomia que pode impactar a história (e os negócios) do atletismo e do esporte por muitos anos. De um lado, o magnetizante astro jamaicano, idolatrado mundo afora, de boa e cuidada imagem, a maior máquina humana de corrida de todos os tempos e motor do marketing olímpico. Num cenário em que seu principal rival, Justin Gatlin, campeão olímpico da prova em Atenas-2004, é um americano que já cumpriu duas punições por doping, completa-se o quadro de um indisfarçável duelo de arquétipos.
O Comitê Olímpico Internacional (COI) e a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) não admitem publicamente, mas torcem por Bolt. Quando estourou o escândalo de doping na Rússia, a IAAF esteve diretamente envolvida em casos de corrupção e acobertamento de amostras positivas. Pressionada, a entidade suspendeu toda a delegação russa do esporte, e o COI estendeu o banimento do Rio-2016 a qualquer atleta russo que já tenha cumprido suspensão por doping.
Nas primeiras reações, os russos citaram o nome de Gatlin, uma das estrelas dos Jogos, com passado manchado. Sua vitória pode afetar a credibilidade — e o faturamento — do atletismo mundo afora nos próximos anos. Nas últimas semanas, tanto o presidente do COI, Thomas Bach, quanto o da IAAF, Sebastian Coe, se posicionaram pessoalmente a favor do banimento vitalício para casos de doping, embora esta não seja a regra atual.
— Sobre o Gatlin, não posso mudar de opinião. Continuo a favor do banimento vitalício, mas ele está elegível para competir e deve ser tratado com a mesma cortesia que os outros — disse Coe na semana passada.

sábado, 13 de agosto de 2016

Abertura do Rio2016 é uma das mais elogiadas da história

Imprensa Internacional elogia abertura das Olimpíadas


(Blog do Rafael Oliveira - Rio de Janeiro) Não há dúvidas que as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, veio para ser a mais bonita da história. Um mix entre o que há mais moderno e as belezas naturais da Lagoa Rodrigo de Freitas, Copacabana, entre outros locais de competição.

Havia certos medos pelas dificuldades econômicas e políticas que o país sofre, mas na mega festa da abertura, as dúvidas deram lugar a esperança de um grande evento.

O Washington Post mesmo falou “por uma noite, ao menos, o Rio de Janeiro expôs o que faz de melhor. Este é um país especialista em folia, que todos os anos enche suas ruas com uma alegria inebriada".

O “New York Times” narrou a cerimônia de abertura em tempo real. Durante a semana, o Snap oficial do jornal praticamente tinha 100% das publicações destinadas a elogios ao Rio de Janeiro. O jornal destacou em sua capa a vibração vista no Maracanã e o diferenciou de qualquer outra edição, principalmente pelo orçamento inferior ao que aconteceu nas versões anteriores.

O argentino “Clarín” anuncia em sua manchete que o “Rio vibra com uma festa repleta de música, cores e esporte” e elogia a cerimônia e a cidade “por suas cores, por seus fogos de artifício, por sua música, por sua gente, pelo Cristo Redentor, aliás ao fundo como perfeito protetor, ícone universal de uma cidade na qual cabem vários mundos”.

O britânico “The Guardian” também optou por uma cobertura em tempo real e afirmou que achou interessante a criatividade e contraste as duas últimas cerimônias de abertura, dessa vez não focando o "grande", mas o meio ambiente. O jornal terminou elogiando a beleza do Cristo Redentor atrás da pira olímpica.

O espanhol “El País” deu destaque em sua manchete para o desfile da delegação de seu país, encabeçada pelo tenista Rafael Nadal, e manteve um link em tempo real com comentários sobre a festa.  Para eles, a  a cerimônia foi "um êxito para o Brasil", que "deixou de lado as diversas crises que vive o país". Sobre a homenagem a Oscar Niemeyer, eles declararam: "O Brasil demonstrou que tem motivos para o orgulho pátrio".

“O Rio está pronto para fazer história”, estampou a CNN em seu site. O argentino Olé destacou a alegria, o movimento e as luzes da festa, “que se estenderam desde o chão até os céus”, escreveu o jornal. E o francês L´Equipe resumiu: “Festivo e comovente”.

Certamente essa festa simboliza o sucesso que ainda virá a frente.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta o nosso site com o facebook e Google+