Crise no Brasil ainda pode piorar

 Jornais estrangeiros têm tom de pessimismo a política brasileira

 


(Blog do Rafael Oliveira) O ponto inicial dessa reportagem tem base na publicação feita ontem pelo jornal britânico Financial Times com o título " Com Macri e Dilma no poder, Argentina e Brasil estão trocando de lugar".

Não é segredo que durante os 12 anos de Kirchner no poder, a Argentina viveu seu pesadelo econômico, uma situação bem parecida com a do Brasil de hoje.

"Em menos de um mês na presidência da Argentina, Mauricio Macri promoveu uma mudança radical em vários pilares que sustentaram a política econômica em 12 anos de kirchnerismo, especialmente na última etapa do Governo de Cristina Kirchner"

A questão agora é que o próprio periódico britânico chega a afirmar que a Argentina está se tornando uma promessa mundial com o seu novo presidente, enquanto o Brasil está cada vez mais próximo de uma crise cada vez mais real.

O jornal ainda comenta que a atual situação de Dilma e a saída de Joaquim Levy do Ministério da Fazenda geram questões adicionais se "o país ainda pode se governar".  Alguns economistas britânicos acreditam que o real deva atingir os R$ 5,00 ainda nesse primeiro semestre.

"É cedo, mas se Macri cumprir suas promessas, os argentinos poderão ter em breve outro motivo para se vangloriarem" - Afirmou o FT.

O The Economist, um dos maiores do ramo no mundo, já escolheu a sua primeira capa de 2016: "A Queda do Brasil". A revista está com várias críticas ao governo brasileiro e as questões econômicas do país, como a redução da nota de crédito do país por duas agências de classificação de risco e a demissão de Joaquim Levy do Ministério da Fazenda após menos de um ano à frente da pasta. Outro caso que a revista lembra é a corrupção da Petrobrás, as previsões baixas de crescimento menor que a própria Russia. O jornal fala que o país precisa tomar decisões imediatas para sair da crise e conclui com a seguinte frase: "Neste momento, Dilma Rousseff não parece ter estômago para elas.". Se o Brasil não conseguir sair dessa crise, haverá um grande desastre econômico, perca dos ganhos sociais,  uma dívida enorme e muitos caminhando na direção da extrema pobreza.

"O Brasil deveria começar 2016 de forma exuberante. (...)O Rio de Janeiro será sede da Olimpíada em agosto, dando aos brasileiros a chance de embarcar no que fazem de melhor: uma festa realmente espetacular. Mas, apesar disso, o Brasil encara um desastre político e econômico"

O The Economist é o mesmo jornal que há algum tempo publicou em sua capa uma foto do Cristo Redentor decolando e rasgando muitos elogios a favor da economia brasileira.

Alguns até tentam acreditar que a crise ainda não chegou, mas é cada vez mais claro a redução do PIB, aumento da inflação, baixo crescimento da indústria, entrada de capital estrangeiro e menos vagas de emprego, tudo isso causado por decisões administrativas erradas do Governo Federal na época que o Brasil estava em "alta". Vamos torcer que uma decisão inteligente seja tomada antes que seja tarde demais, até lá o Brasil é um dos 10 maiores riscos financeiros do mundo.
Com Macri e Dilma no poder, Argentina e Brasil estão trocando de lugar, afirma FT - InfoMoney
Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/4498499/com-macri-dilma-poder-argentina-brasil-estao-trocando-lugar-afirma

Postar um comentário

Clique aqui para deixar um comentário. Caso você não tiver uma conta Google, assine o seu nome abaixo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta o nosso site com o facebook e Google+