domingo, 22 de maio de 2011

Rio de Janeiro terá a primeira filial brasileira da Le Cordon Bleu

Tradicional escola gastronômica francesa ganhará sede na zona sul do Rio de Janeiro

http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRRtM0nWM1XwAdsOd4xzvpTlxISMVEgvl7Rc9UFRPKgImnXh6Wjsw&t=1

A escola de gastronomia Le Cordon Bleu é a mais antiga do mundo e também é considerada a mais prestigiada do planeta. A escola francesa já formou alguns dos considerados melhores Chefs, e essa prestigiada escola ganhará a primeira filial do Brasil no Rio de Janeiro.

A escola ficará em Botafogo. As obras começarão em breve, já as aulas devem começar no início de 2012, com duração de nove meses. Os professores virão principalmente da França e não há projetos de outras filiais no Brasil.

O Governo Estadual também fechou um acordo para que pessoas de baixa renda também consigam estudar na prestigiada escola, além de jovens formados em escola pública.

"A Cordon Bleu vai formar e ao mesmo tempo valorizar a cultura local. A técnica francesa está em 80% das escolas do mundo. A partir dela, pode-se desenvolver qualquer técnica. E as aulas vão valorizar os produtos locais tradicionais", diz Roland Villard, chef do restaurante Le Pré Catelan.

Alguns detalhes como o número de estudantes e o preço dos cursos para os alunos particulares serão definidos até Junho. Mas atualmente, o curso completo para obtenção do chamado "grand diplôme" ( grande diploma) chega a 35 mil (R$ 80,5 mil). Há ainda cursos que vão de poucas horas a até quatro dias, com preços que variam de 40 (R$ 92) a 900 (R$ 2.070).

Em Paris, a maioria dos alunos do curso completo é de estrangeiros. Villard acredita que essa escola ajudará a culinária brasileira a fazer parte da história da gastronomia mundial, assim como a mexicana, a italiana, a peruana e a libanesa.

A Le Cordon Bleu já possui 35 escolas no mundo, apareceu em filmes como "Julie & Julia" e foi criada em 1578.

Texto escrito e postado por Rafael Oliveira, 22 de Maio de 2011

Um comentário:

  1. O Rio de Janeiro vive um momento de crise em sua Escola Estadual de Formação em Saúde, que leva o nome da sanitarista Izabel dos Santos falecida recentemente (Escola integrante da Rede RET-SUS).
    No Diário Oficial do dia 13 de maio de 2011, o Governador do Estado do RJ, publicou o Decreto 42.966/2011, ENTREGANDO A ESCOLA PARA A FAETEC. Até aquela data a Escola estava subordinada a Secretaria de Saúde do RJ, como deve ser uma escola do SUS.
    A formação técnica dos profissionais de saúde do Estado está em risco com as atitudes do Chefe do Executivo Estadual. A Escola está sediada na Rua da Passagem 179 ? Botafogo, porém, noticia-se em todos os segmentos de governo que sua Excelência, além de transferir a gestão para a FAETEC, também vai transferir as instalações físicas, pois, no local funcionará uma Escola de Formação Gastronômica e Gestão Hoteleira ? Le Cordon Bleu ? escola francesa fundada em Paris em 1895 com convênio assinado com o governo do Rio de Janeiro.
    Por certo que a necessidade de expansão e de abertura de oportunidades no segmento da instituição francesa, pode ser uma necessidade brasileira, mais, não em detrimento e prejuízo da saúde ? formação técnica de profissionais ? que se capacitam para solidificar e sedimentar as diretrizes do Sistema Único.
    A onde o Senhor Governador pretende instalar a ETIS? Em Quintino, sede da FAETEC, se não tem espaço físico adequado nem mesmo para nós servidores da Secretaria de Ciência e Tecnologia.
    A luta de classes dos servidores da instituição (enfermagem, odontologia etc) serviu e trouxe para a escola progresso. O Ministério da Saúde investiu em equipamentos e materiais didáticos para a formação técnica dos profissionais do SUS, fazendo da ETIS, uma instituição de ensino e pronta para pesquisa, servindo inclusive a outras esferas do governo e atendendo a demandas do próprio Ministério da Saúde em diversas vezes, colocá-la em espaço ínfimo ou espremê-la em mistura a outras repartições estatais é esmagar e arranhar a conquista, e resultado de um trabalho propulsor e idealizado pela Izabel dos Santos, que felizmente não vive, pois, senão morreria com a decepção.
    A instituição serve a saúde pública, possui identidade própria, e fez estória no cenário do SUS nacional, bastando que se confiram seus resultados acadêmicos e formativos desde sua criação, se mais não fez este não é o momento para discussão.
    Vivemos num universo fragmentado por múltiplas vozes e interesses muitas vezes obscuros, frente a um horizonte desprovido de absolutos, com a nossa própria imagem mil vezes distorcida no jogo de espelhos de uma realidade vivida no trabalho e contraposta com o compromisso de saúde pública.

    Engolida pelo vácuo de interesses, a saúde tende a reduzir-se à esfera do menos importante; olvida sua função social; ampara-se no mágico; desencanta-se na autoajuda imediata e no lançamento de sua própria sorte.

    Nesse mundo secularizado, a Escola de Formação Técnica em Saúde Enfermeira Izabel dos Santos ? E A SAÚDE DO RIO DE JANEIRO ? perde espaço público, devido à racionalidade tecnocientífica, ao pluralismo de cosmovisões, à racionalidade econômica do Dono do Poder. Sobretudo, perde o espaço físico onde é provedora de compromisso com a formação técnica de trabalhadores. Seu lugar é ocupado pelo oráculo poderoso da gastronomia e gestão hoteleira Cordon Bleu; os dogmas inquestionáveis do mercado financeiro; o amplo leque de propostas desconhecidas frustra e entristece os militantes da Saúde Pública do Estado do Rio de Janeiro, como aqui expresso minha INDIGNAÇÃO.
    Há alguma providência parlamentar ?política? a ser tomada em defesa dessa arbitrariedade?

    ResponderExcluir

Clique aqui para deixar um comentário. Caso você não tiver uma conta Google, assine o seu nome abaixo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta o nosso site com o facebook e Google+