sábado, 21 de maio de 2011

Cresce o número de moradores no Centro do Rio

Centro do Rio de Janeiro volta a conquistar moradores


Existem muitas celebridades internacionais que se encantaram pelo Rio de Janeiro ao ponto de comprarem casa na Cidade Maravilhosa, alguns até largam sua cidade-natal para viver na cidade que é uma das sete maravilhas do mundo, assim como o famoso estilista Calvin Klein.

Mas quem não gostaria de morar na cidade que possui as paisagens naturais mais belas do mundo? Mas não é apenas bairros como Copacabana, Leblon, Ipanema, Arpoador, Barra da Tijuca, Tijuca e Botafogo que estão nos sonhos dos que desejam ter sua casa própria na cidade mais bela do mundo, mas existem muitos que adorariam viver também no centro do Rio de Janeiro.

A famosa atriz Sônia Braga há pouco tempo confirmou que trocará Manhattan pela Cinelândia, desde então o crescimento do Centro do Rio ganhou um dado mais técnico com a divulgação do Censo 2010: o aumento de 5,1% da população da Região Administrativa, que havia tido uma queda de 20,3% na década de 90.

O bairro de Rio Comprido também teve uma alta de 7,2%, após uma década de desinteresse pela região. Mas devemos ter um olhar especial para São Cristóvão que saiu de -18,2% para 19,7%.

Para o Sindicato da Habitação do Rio, o público que busca o Centro da Cidade é composto principalmente por casais jovens, solteiros e divorciados que querem morar perto do trabalho e escapar dos engarrafamentos da cidade que mais cresce economicamente no mundo.

Texto escrito e postado por Rafael Oliveira, 21 de Maio de 2011

2 comentários:

  1. Luiz Carlos Zanotti22 de maio de 2011 13:36

    Eu amo o Rio, mas, há muito, deixei de ter essa visão romântica da cidade que vc tem, Rafa!
    O Centro do Rio possui construções lindíssimas, dignas de qualquer capital do mundo, porém, totalmente abandonadas. Só fazem vergonha. Quem dera, fossem todas restauradas, mas nossas autoridades não estão nem aí pra isso. Só querem saber de tombar e depois deixam prá lá.
    E tem outra coisa, essa história de impor gabarito baixo só faz deixar a cidade com ar de balneário. Um centro moderno de qualquer metrópole tem edifícios altos, mas aqui no Rio parece que a palavra arranha-céu é até palavrão.
    Vc sabia que por limitarem o gabarito dos prédios em determinado número de andares e, ainda por cima, a altura em até determinada altura é o principal motivo de termos tantos prédios em formato de cubos, os chamados "CAIXOTÕES", sem o mínimo "disigner"?
    É que as construtoras querem aproveitar o máximo de andares possíveis, mas esbarram no limite da altura máxima, ai fazem esses monstrengos que só enfeiam a cidade ainda mais.
    VAMOS COMBINAR QUE O RIO É REALMENTE LINDO, MAS, CADA VEZ MAIS, ESSA BELEZA ESTÁ FICANDO RESTRITA À PAISAGEM NATURAL!
    Nossa arquitetura é um horrorrrrrrrrr!
    O centro do Rio e os subúrbios estão degradantes.Andar pelo Rio é uma tristeza! Alguns baisrros já foram engolidos por favelas. Viraram "comunidades" ! Meu Deus, em nome de uma demagogia aviltante, estão destruindo nossa cidade! Não há um lugar onde se vá no Rio que não se aviste uma favela!
    Quando vc viaja para outras cidades, aqui mesmo do Brasil, fica até com inveja de tão organizadas e lindas que são!
    Quando vai pro exterior, então, dá vontade até de não voltar nunca mais, mesmo sentindo saudade da cidade!
    REPITO: AMO O RIO ALUCINADAMENTE, MAS A VERDADE PRECISA SER DITA, PARA, QUEM SABE, ALGO SEJA FEITO ENQUANTO É TEMPO!
    ABÇS!

    ResponderExcluir
  2. Luiz, eu entendo a sua visão e a apoio. Eu realmente vejo o Rio de Janeiro meio romantizado, e vejo que o Rio merece ser assim, até porque o Rio é uma cidade de encantos, mas acredito que poderiamos chegar muito mais longe se não fosse essa cultura/política atual.

    O Centro do Rio de Janeiro realmente esbanja modernidade, cultura e história, realmente dignas de qualquer capital do mundo, há algumas utilizadas por grandes empresas e construtoras, mas outras de grande importância totalmente abandonadas (como palacetes, fábricas e até igrejas) ou sem muita importância (Museu da Fazenda). Eu sou a favor da restauração de todas essas edificações, mas é triste que a Prefeitura não se preocupa com isso, muito menos as secretarias responsáveis, sou a favor do fim desse sistema de "vamos tombar e deixar a própria sorte", eu vejo que deveria haver um projeto de valorização desses imóveis e assim então serem vendidos para virarem bares, restaurantes, shoppings, lojas, hotéis e sede de empresas - assim como acontece na Europa. Jogamos fora um rico potencial e belezas da humanidade.

    Sou a favor da construção de arranha-céus no centro, na zona portuária, na Tijuca, em Campo Grande, em Botafogo e principalmente na Barra da Tijuca, só não vejo necessidade em dois tipos de situações:
    1) lugares que realmente há belezas naturais que seriam cobertas, como Lagoa e Gávea.
    2) Lugares que sofrem com o calor intenso, como Bangu e Realengo.

    Além do mais, uma cidade que possui um gabarito de urbanização tão restrito contra prédios, deveria no mínimo ter uma operação contra a favelização. Tamanha beleza e modernidade não pode se restringir a apenas belezas naturais e históricas.

    ResponderExcluir

Clique aqui para deixar um comentário. Caso você não tiver uma conta Google, assine o seu nome abaixo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta o nosso site com o facebook e Google+