terça-feira, 15 de março de 2011

Wisconsin, um problema atual que a mídia está tentando abafar

Estado norte-americano perderá Direitos Trabalhistas e problema pode se refletir no Brasil nos próximos anos

http://bloglge.com.br/wp-content/uploads/2010/04/dia-do-trabalho-tarcila.jpg

O mundo parou após o terremoto que acometeu o Japão e causou muitas mortes, destruições e medo no país mais bem preparado para catástrofes em todo o mundo. As ruas estão vazias e ainda há o risco de ameaça nuclear. As pessoas têm lido em todos os veículos de comunicação muitas noticias sobre os problemas que ainda podem acontecer. A mídia não fala de outra coisa, além do país que competiu com o Rio para as Olimpíadas de 2016. Ao mesmo tempo tanto a mídia como nós esquecemos que o mundo não é só o Japão.

Enquanto isso acontece alguns escândalos de corrupção em Brasília e problemas políticos que não ganham espaço na TV. Mas o destaque de hoje, nesse blog, não será nem no Rio de Janeiro e nem - inicialmente - no Brasil, mas em Wisconsin.

O problema é tão grave que quase todos nem sabe o que tem acontecido em Wisconsin. Para ser sincero, a maioria do povo brasileiro nem sabe onde fica Wisconsin.

Wisconsin é um dos estados localizados nos Estados Unidos, quase no centro do país. O estado é um dos maiores produtores de queijo, carne bovina, leite, manteiga e outros produtos agropecuários nos Estados Unidos.

Mas Wisconsin ficou famoso por ser um dos estados a ter criado as leis trabalhistas na América do Norte. Também é um dos estados que mais investe em educação. Mas apresentar Wisconsin não é o assunto da reportagem.

Antes de tudo vale lembrar que os Estados Unidos, apesar de ser o país ideal na cabeça de muitos brasileiros, é famoso por estar entre os piores em leis trabalhistas em todo o mundo. Só para você ter ideia, lá não há décimo terceiro salário e outros benefícios adotados por Vargas no Brasil. Os Estados Unidos também estão entre os piores em licença-maternidade, auxílio-doença, férias e descanso semanal remunerado. Só para se houver ideia até onde isso chega: Nem se quer o adicional por trabalho noturno é garantido nos Estados Unidos. E tem gente que ainda diz que lá é melhor que aqui.
"Vários países têm benefícios que a maioria dos americanos nem sonham que existem", conclui Jody Heymann, de Harvard.
Agora eu vou falar de algo que a mídia mundial está abafando e poucos sabem: O governo norte-americano aprovou uma lei que diminui os direitos trabalhistas no estado de Wisconsin

A legislação eliminará os direitos dos sindicatos a negociarem contratos, acabando com alguns regulamentos ligados a salários, condição de trabalho, benefícios, política de “despedimentos”, entre outros aspectos. Além de descontos na segurança social e seguros de saúde - já que os Estados Unidos também não conta com o sistema de SUS. Qualquer negociação trabalhista sindical também está fora de cogitação pela nova lei.

Em outras palavras esse é o maior ataque ao sindicalismo na história dos EUA em sua história recente, ainda mais falando-se de um país que orgulha-se em ser a maior democracia do mundo. A lei foi aprovada por 18 votos contra um, pelos republicanos. Os democratas retiraram-se do estado para tentar impedir o quórum exigido por lei, mas infelizmente não conseguiram.

Os trabalhadores também deverão pagar mais para pensões e seguro médico. Em troca, o estado poupará 150 milhões de dólares por ano, além de auxiliar a iniciativa privada.
"O que está a acontecer no Wisconsin é o fim do processo democrático” - Disse o ganhador do prêmio Nobel para o The New York Times.
Até mesmo Obama opinou dizendo que isso seria um "ataque aos sindicatos". O governador Scott Walker deu um fora no presidente dizendo que era melhor que "Washington se concentrasse em equilibrar seu orçamento". Agora há uma grande bomba nas mãos de Barack Obama e a qualquer momento ele seria pressionado. O que seria então a melhor coisa para Obama lavar as suas mãos e abafar a culpa? Resposta: Fugir para o Brasil.

Domingo, Obama virá para o Brasil, fará reuniões em um dos países que tem tido a economia mais crescente do mundo e será até ovacionado na Cinelândia, maior palco político da América do Sul, exatamente na cidade considerada a Melhor do Mundo pela Wallpaper. Eu quero deixar bem claro que não estou incentivando ninguém a vaiar Obama ou tentar proteger o estado norte-americano. Eu não quero parecer arrogante, mas não devemos ser estúpidos em sair em defesa do problema em Wisconsin quando temos problemas muito piores.

Mas em que o Brasil poderia sair perdendo com isso? Eu então vos respondo: Certamente os republicanos tentarão levar essa proposta para outros estados norte-americanos, certamente haverá revoltas, mas nem Obama está disposto e criar uma batalha em defesa do povo. O nosso país é controlado por uma presidente que teve sérios problemas com o governo no passado – que não valem a pena ser lembrados agora – e já mostrou que não está a fim de lutar contra decisões políticas. Para piorar o nosso Senado é governado por ninguém mais que José Sarney e Fernando Collor. Enquanto a Reforma Política será dirigida por um grupo de corruptos, incluindo Maluf.

Se o brasileiro deixar continuar essas vergonhas políticas - muitas vezes citadas nesse blog, logo o problema de Wisconsin será um problema brasileiro, onde daremos adeus a benefícios, décimo terceiro salário, auxílios trabalhistas, entre outros benefícios. Claro que isso não aconteceria do nada, mas talvez daqui a 10 ou 20 anos. Os benefícios conquistados na era Vargas poderão ser apenas "boas histórias" que contaremos aos nossos filhos e netos. Isso pode até parecer exagero, mas será o que vai acontecer enquanto os brasileiros ainda acharem que ELEIÇÃO é a mesma coisa que votar no vencedor de BIG BROTHER BRASIL e A FAZENDA, dois programas que inclusive acabam com a cultura do nosso povo e forma futuros homens sem cultura e sem política. Mas esse não é o alerta dessa reportagem e nem o objetivo desse Blog.

Apenas quero que o brasileiro acorde e perceba que a política do Brasil está na lama da corrupção e não na Disneylandia. Afinal, o fim dos direitos trabalhistas será um benefício para o Governo Federal e também para a iniciativa privada. Fiquem de olho.

Texto escrito, revisado e publicado por Rafael Oliveira
Blog do Rafael Oliveira - Rio de Janeiro
Publicado em 15 de Março de 2011

Gravura: Quadro "Operários" de Tarsila do Amaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui para deixar um comentário. Caso você não tiver uma conta Google, assine o seu nome abaixo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta o nosso site com o facebook e Google+