sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Favelas perto de atrações olímpicas serão urbanizadas

Prefeitura promete urbanizar todas as favelas perto de áreas Olímpicas

http://3.bp.blogspot.com/_M1zg0keE0pw/TT2pFEgrw-I/AAAAAAAAHQQ/8HLoMwzpx9Q/s1600/prefeitura.jpg

Eu ainda afirmo que o Rio de Janeiro não deveria ter nenhuma favela e o fato de vermos centenas delas espalhadas pela cidade - e Estado - é puramente reflexo da falta de administração do governo que ao invés de lutar contra esse mal, prefere deixar do jeito que está para não perder votos de eleitores e também por preguiça. No final fica isso que vemos agora: Uma imagem visual degradante para a cidade mais bela do mundo, fortalecimento da violência, pessoas vivendo em locais que nenhum ser humano merece viver, os piores IDH da cidade, saneamento básico vergonhoso e falta de controle público.

O projeto Favela Bairro tentou resolver o problema, mas todos viram que não resolveu, porque só asfaltar - entre outras coisas - não é a solução.

Agora veio o Morar Carioca que tenta urbanizar todas as favelas até 2020, prometendo também um melhor monitoramento.

A segunda fase do Morar Carioca terá seus esforços em favelas localizadas num raio de quatro quilômetros das futuras instalações olímpicas nas zonas Norte, Sul e Oeste, ou seja, 216 favelas divididas em 91 grupos, atingindo 89.058 moradias gastando R$ 2,6 bilhões.

Segundo Eduardo Paes a ideia desse programa é encontrar soluções urbanísticas que ajudem a integrar as favelas à cidade formal, com abertura de ruas, construção de áreas de lazer e esporte, remoção de famílias de áreas de risco e melhorias habitacionais num espaço de 12,2 milhões de metros quadrados.
- A meta é que a segunda fase esteja pronta até a Copa do Mundo de 2014 - disse Bittar.

Na Zona Sul, serão urbanizadas favelas como Chácara do Céu, no Leblon; Vila Parque da Cidade, na Gávea; e Ladeira dos Tabajaras, que tem trechos em Copacabana e Botafogo. Essas comunidades ficam nas imediações do núcleo Copacabana das Olimpíadas, onde serão realizadas competições de vôlei de praia, maratona aquática, triatlo, canoagem (Lagoa) e iatismo (Marina da Glória). O Morro dos Macacos, em Vila Isabel, que já tem uma UPP, e o Morro São João, no Engenho Novo, ocupado pelo Bope no início do mês, também integram a lista. Junto com a Mangueira e a Providência (incluídas na primeira fase do Morar Carioca) , as favelas ficam no raio de interferência do Maracanã, onde serão realizadas as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos e as provas de atletismo.

Segundo O GLOBO, o estádio de São Januário também será revitalizado para as partidas hóquei. Todo o seu redor também será revitalizado.

Já na região da Barra da Tijuca, que concentrará a maior parte das instalações olímpicas, como as vilas dos atletas e de mídia e o Parque Olímpico, foram incluídas favelas como Muzema e Tijuquinha, no Itanhangá; Mato Alto, na Praça Seca; e Pantanal, em Jacarepaguá.

Nos arredores do núcleo de Deodoro, foram incluídas Vila Vintém, em Padre Miguel; Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho; Parque Furquim Mendes, no Jardim América; e Faz Quem Quer, em Guadalupe.





Eu vejo que esse é um projeto superior aos anteriores - incluindo o maldito PAC que fortalece as favelas ao invés de "derrubá-las". Sem contar que eu não canso de escrever que seria mais barato transferir as favelas de locais turísticos e financeiros para outras regiões com melhor qualidade de vida, e aplicar projetos para que outras comunidades do subúrbio percam esse título de "favela" e se integram ao bairro, obviamente, investindo também no entorno, trazendo empregos e qualidade de vida para toda a região da zona oeste e norte. Seria um investimento para o povo, onde essas pessoas futuramente teriam melhores condições sociais e financeiras até mesmo para melhorar a Educação e contribuírem de forma prática para a arrecadação de impostos da cidade. Mas para isso precisamos quebrar alguns paradigmas que o nosso governo ainda está infelizmente "atrasado". Até porque as antigas favelas poderiam se tornar espaços ambientais ou até públicos, com ajuda da iniciativa privada.

Não adianta acabar com uma favela enquanto não há uma fiscalização para evitar a construção - ou expansão - de outras. Essa sim deveria ser a primeira prioridade da Prefeitura no combate a favelização.

Texto escrito e postado por Rafael Oliveira, 28 de Janeiro de 2011

2 comentários:

  1. MUITO LEGAL ESSA REPORTAGEM, gostaria de mandar MAIS FOTOS DO PROBLEMA . kbarbosa@oi.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nao adianta reclamar do problema conhecendo-o superficialmente.
    Refletir sobre o assunto antes de escrever também é essencial. Além disso, consultar um dicionário quando você não sabe dispor verbos na frase, e concordá-los adequadamente ao restante desta não é muito difícil.
    Não quero ser rude.Pelo contrário, admiro sua coragem de dar a cara a tapa para qualquer sujeito que leia o artigo. Mas sem dúvida acredito que um pouco mais de reflexão fará com que seus textos se tornem mais claros e sem apelação. Boa escolha de tema, por sinal.

    ResponderExcluir

Clique aqui para deixar um comentário. Caso você não tiver uma conta Google, assine o seu nome abaixo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta o nosso site com o facebook e Google+