quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Prefeitura anuncia urbanização de 215 favelas

Concurso escolhe 40 arquitetos para reurbanização das favelas do Rio de Janeiro

http://oglobo.globo.com/fotos/2010/12/07/07_MHG_RIO_0812_morar2.jpg


Eu muitas vezes já defendi que o Rio de Janeiro "precisava" criar um projeto de transferência de favelas para outras regiões, restaurando a vegetação local, valorizando desde o turismo e infraestrutura local, até saneamento básico digno para essas famílias . Mas certamente qualquer projeto seria “menos pior” do que a política atual de deixar as favelas como estão, crescendo geometricamente a cada ano e causando o problema urbano atual no Rio de Janeiro, apoiado pelo PAC e o Favela Bairro.

A Prefeitura anunciou há uns meses o projeto Morar Carioca que pretende urbanizar cerca de 215 favelas da cidade até 2020 através de um investimento de R$ 8 bilhões.

Foi feito um concurso entre 86 escritórios de arquitetura para escolher 40 vencedores que serão responsáveis em desenhar os esboços para a urbanização das favelas. Entre os projetos dos escritórios aparecem tópicos como o adensamento, garantir saneamento básico e áreas de convivência para os moradores, e principalmente integrar a favela à cidade formal.

Alguns escritórios também idealizam o plantio de árvore, construção de ciclovias (em favelas planas), teleféricos, entre outros. Um dos escritórios escolhidos aposta em construir largos, praças, áreas para esportes e paradas para comércio local.

O projeto terá ajuda de sociólogos, engenheiros e outros profissionais. Sem contar com o projeto de pacificação de favelas.



Texto escrito e postado por Rafael Oliveira, 08 de Dezembro de 2010

10 comentários:

  1. Caro Rafael

    O Rio de Janeiro NÃO PODE remover as favelas de onde estão para novos locais, pelo simples fato delas já estarem agregadas a paisagem urbana da cidade.

    As propostas de remoções de favelas eram usadas nos anos 80, hoje em dia elas seriam inviavéis, já que causaria diversos atrasos, além de ser uma medida segregadora. A infra-estrutura das favelas hoje em dia são precárias, e de fato a melhor atitude é estruturaliza-las, uma vez que dessa forma não se considera uma atitude segregadora,mas sim inclusiva. Porém algo deve ser citado, uma vez fazendo parte da formalidade da cidade, os impostos irão chegar e grande parte da população dessas favelas não terão como pagar, resultado : mais favelização.

    Dessa forma deve ser adotado algum programa para que tal fato não aconteça. Ou seja adequar a população da área para exercer funções em que possam receber o suficiente para pagar suas contas e possuir uma vida de qualidade.

    ResponderExcluir
  2. Cara, eu sinto uma dor imensa quando ouço alguém dizer que as favelas fazem parte da paisagem do Rio de Janeiro....Meu Deus, se Paris, Londres, Nova York, Tóquio e tantas outras cidades não são obrigadas a conviver com uma mazela dessas, por que logo nossa cidade tem que passar por isso? Se nossos políticos não fossem demagogos, eles construiriam locais decentes para essas pessoas morarem. Por que não atraír investimentos e construir mini-cidades em volta desses complexos, garantindo emprego, moradia e lazer a todas essas pessoas? Tem que manter todos vivendo em favelas? Nossa cidade nunca terá a aparência de uma cidade moderna e rica, enquanto existir favela!
    Por exemplo: o Eike batista está construindo, no entorno do PORTO DO AÇU, a sua CIDADE X, para 250 habitantes.
    Será uma cidade na total acepção da palavra, com toda a infraestrutura.
    É isso que eu quis sugerir.
    Se ele pode fazer isso, por que o governo não pode? Quanto é que se gastou com o favela bairro e quanto é que se vai gastar com o PAC das favelas? BILHÕES E MAIS BILHÕES!
    Dinheiro tem, o que falta é vontade política!

    ResponderExcluir
  3. O Ivan está certo. É tapar o sol com a peneira dizer que o problema da favelização no Brasil vai ser resolvido com a remoção de seus moradores. Primeiro que quem sai de uma favela no Centro vai querer continuar morando no Centro (eu pelo menos teria essa posição); segundo que não tem muito espaço para todo mundo ser removido para moradia. O jeito é ter um programa de urbanização, controle de crescimento e inclusão das favelas, A LONGO PRAZO, na sociedade.

    ResponderExcluir
  4. Era só o que faltava! Todo mundo quer morar p e r t i n h o! Como se pudéssemos determinar onde é que nos vamos morar.
    1) Quem determina onde é que o povo vai morar é o poder público e não o favelado, muito menos quem nem carioca é.
    2) Depois do poder público, quem determina onde o povo vai morar é a renda.
    Em todo lugar, neste planeta, quem ganha menos mora com menos qualidade. Era assim até na extinta União Soviética. Ou algum bobinho aí, socialista de botequim, acredita que o povo morava no centro de Moscow e vivia bem, como os membros do Partido Comunista?
    Hoje temos muitas coisas que não tíinhamos durante os últimos 30 anos:
    1) Uma política habitacional federal [ PMCMV } que está construindo, na primeira fase, 100 mil casas na cidade do Rio de Janeiro. Isto é 1/3 do deficit habitacional da cidade. Na segunda fase, se Deus continuar ajudando, mais 100 mil virão. Quando todas estas casas estiverem de pé, nossas favelas terão sido reduzidas a 1/3 das que existem hoje.
    2) Temos também o morar carioca. Muitas favelas serão remodeladas, SIM, com este programa, como vimos nos jornais, mas muitas favelas SERAO REMOVIDAS, S I M, com o morar carioca.
    3) O governo federal acaba de aprovar a utilização de terrenos, dentro de favelas, para serem utilizados pelo PMCMV. Isto possibilitará que as construtoras entrem dentro das favelas e construam residências para as classes menos favorecidas.
    4) Uma expressiva reformulação no sistema de transportes está a caminho: serão 4 BRTs, expansão do metro até a Barra, a Supervia [a maior rede de trens que o Brasil conhece] está sendo modernizada e, até as Olimpíadas, estações serão modernizadas e todos os trens terão ar condicionado, aproximando a qualidade dos trens urbanos à do Metro. Detalhe: todos os modais integrados [ónibus-trens-metro-BRTs]. Isto porá um fim na cantilena os espertos utilizam para justificar que precisam morar em favelas no bairro de Copacabana porque não tem transporte eficiente para conduzi-los até lá. E finalmente
    5) Para o carioca, cada vez interessa e importa menos o que os não cariocas acham ou deixam de achar sobre o que deve ou não deve ser feito na cidade do Rio de Janeiro.
    Os cariocas estamos fartos de vocês palpitando sobre o que devemos ou não fazer na nossa cidade. Helloooo! Brizola NAO manda mais aqui faz muito tempo. Olha só o resultado das eleições. Fora Gabeira! Volta p'ra Minas que é o teu lugar e deixa a gente em paz consertando tudo o que voces destruiram nos últimos 50 anos!
    O Rio é uma cidade muito legal! Você pode ir embora daqui de avião, navio, ónibus, trem, carro, moto, bicicleta ou a pé. Então, se você não está satisfeito com o que nós estamos fazendo por aqui, junta seus paninhos de b.... e pé na estrada! O Brasil é grande, o continente maior ainda, e o mundo então, nem sem fala. Há de haver algum lugar neste planeta onde você possa ser feliz e deixar a gente em paz.

    ResponderExcluir
  5. O Rio de Janeiro deveria começar a processar criminalmente toda e qualquer pessoa que defenda a não remoção de favelas pelas mortes de favelados, todos os anos, no período de chuvas. Aquelas pessoas faveladas poderiam ter sido salvas caso a remoção delas não tive sido impedida ou postergada por aqueles que defendem o direito que eles NAO TEM de morar em favelas.

    ResponderExcluir
  6. Eu já escrevi em algumas reportagens o quanto se gastaria para remover uma favela e o quanto se gasta para mantê-la (com esses programas como Favela Bairro) e fato que saiu muito mais em conta remover para outros locais a tentar fingir que está tudo bem. Claro que o projeto de remover uma antiga favela do Maracanã valeu a pena, porém a Vila Kennedy está longe de ser uma remoção ideal. A Prefeitura já gastou milhões com Favela Bairro e os moradores vivem morando no mesmo lixo-humano (é total hipocrisia dizer que eles vivem em um lugar digno).

    Eu acredito sim que é mais fácil remover as favelas em locais turísticos e financeiros da cidade, além de outras em locais de perigo para o morador. Enquanto há outras favelas, principalmente as planas, que podem ser remodeladas, mesmo não sendo o ideal.

    Os moradores dessas comunidades obviamente não devem ter a opinião descartada, mas tem gente que não sairá de favelas em Botafogo, Copacabana e Leblon porque é zona sul, bairro elite (e é muito bom morar nesses lugares sem pagar impostos e deixar os demais , o contribuinte, pagar o preço dessa bagunça). Pessoas que tem essa mente politicamente insana não devem ser ouvidos, e sim o bem estar da população em geral.

    Eu mesmo já conheci muita gente que afirma que não vai embora da favela porque quer morar na zona sul, apesar de ter dinheiro para comprar uma no subúrbio. Há uma certa mulher que deu entrevista para “O Globo” que afirmou que só aceitaria ir embora da sua casa caso dessem um apartamento (Classe A) para ela em Botafogo. Um político que escuta essa estapafúrdia é um absurdo. Enquanto isso há muita gente inocente vivendo em um IDH similar a países da África.

    Isso está longe de ser bairrismo ou discriminação. Discriminação é ser a favor que continuem as favelas com programas ignorantes, enquanto o carioca sofre as consequências.

    ResponderExcluir
  7. Queridos amigos, eu não sei se algum desses comentários de Anônimos foi para mim, mas me senti no direito de responder a algumas ofensas feitas aqui.
    Em primeiro lugar, ao contrário do que foi dito pelo Anônimo 1, eu sou carioca, nascido e criado aqui e não odeio o Rio. Se odiasse, não seguiria esse blog, do qual gosto muito pois dignifica a nossa cidade pelo que ela foi, é e sempre será: A Cidade Maravilhosa.
    Em segundo lugar, é óbvio e claro que eu, como carioca, não aprecio o que as favelas fazem com a imagem da cidade; realmente incomoda aquelas casas mal-feitas, "coladas" nos morros. Mas a minha opinião aqui é realista, de quem vive e analisa REALMENTE a situação do Rio de Janeiro, e não é guiado pela mídia usada para iludir cabecinhas fracas. NÃO É POSSÍVEL REMOVER TODOS OS MORADORES DE FAVELAS, porque as favelas no Rio de Janeiro alcançaram- e isso vem de um longo processo histórico- um espaço muito grande na cidade. Essa opinião estranha de que quem controla onde o povo mora é o Estado é muito bonita quando é aplicada a outra pessoa, a um "favelado" como alguém disse aqui. Mas a verdade é que 99% das pessoas, se fossem entrevistadas numa situação em que moram em favelas na Zona Sul, não iriam querer ser removidas, pois, vamos encarar, O TRANSPORTE PÚBLICO DO RIO DE JANEIRO É MUITO AQUÉM DO QUE DEVERIA ( EU FALO ISSO, NÃO GUIADO POR TELEVISÃO OU JORNAL, MAS COMO MORADOR DA ZONA OESTE. EU SEI DO QUE ESTOU FALANDO). Vamos parar com a hipocrisia: quando é para ferrar os que moram em favela, apóia o governo, como se eles fossem culpados por tudo o que acontece. A formação das favelas não vem só de Brizola, vem desde +ou- o início do século. Infelizmente, para aqueles que não tinham ajuda do, tão defendido aqui, governo essa válvula de escape que foi a favela, acabou entrando na mentalidade dos mais carentes, pois o brasileiro tem essa característica de se VIRAR SOZINHO. E quem mora na Zona Sul, mesmo em favela, vai querer continuar morando na Zona Sul, pois, mesmo não sendo lugar predominantemente de gente carente, abriga favelas que forma onde os chegados na cidade encontraram abrigo para o abandono do governo. E isso vem da falta de política de reforma agrária, investimento nos lugares mais pobres do Brasil, no Nordeste e etc. Vocês não percebem, seus ignorantes, que tudo é resultado, não de pessoas quererem se dar bem morando em favelas, mas de falta de cuidado do governo que vocês tanto defendem. GENTE, ABRE O OLHO!!! PARA DE ANALISAR OS FATOS DA VIDA COM UM OLHAR ISOLADO, GUIADO PELA MÍDIA. APRENDE A RACIOCINAR.
    Em terceiro lugar, a mídia trabalha tão bem, que consegue enculcar na cabeça das pessoas que todo morador de favela é safado, é bandido e é aproveitador. Isso vem de um trabalho contínuo de criminalização das favelas. Eu sei que existem pessoas que são assim, mas não só nas favelas, também nas moradias regulares e até nos condomínios de luxo.
    Em quarto lugar, está na hora de nós cariocas pararmos com esse partidarismo ridículo, como se TODO O RESTO DO BRASIL estivesse lutando contra o Rio de Janeiro. Uma luta pior que existe é a do interesse dos mais ricos contra os do resto da população em geral, mas isso já é outro assunto.
    POR ÚLTIMO, REITERO QUE NÃO SOU A FAVOR DA CONTINUIDADE DAS FAVELAS, MAS SOU REALISTA. A ÚNICA FORMA DE SE DETER E NEUTRALIZAR O PROCESSO (QUE AINDA EXISTE) DE FAVELIZAÇÃO É O C-O-N-T-R-O-L-E DESSES TERRITÓRIOS PARA IMPEDIR SEU CRESCIMENTO, O PROGRESSIVO PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE MORADIAS, A REMODELAÇÃO, SIM, DESSES LUGARES COM A CONSTRUÇÃO DE RUAS, REGULARIZAÇÃO DE ÁGUA, LUZ E ETC, MAS ISSO É UM PROCESSO A L-O-N-G-O P-R-A-Z-O. NÃO VAI SER RESOLVIDO DA NOITE PARA O DIA. OS PROBLEMAS TEM QUE SER RESOLVIDOS POR SUA RAIZ, NÃO REMEDIANDO.
    Bem, quis aqui expressar minha opinião de uma forma mais explanada. Agradeço ao Rafael pela oportunidade.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Na minha opinião governo tinha que implantar UPPs ( Unidade de Policia Pacificadora ) em todas comunidades para depois investir, por que gastar tanto dinheiro e ainda existir a presença do tráfico é dinheiro jogado fora !

    ResponderExcluir
  10. A ideia do anônimo acima é interessante, mas realmente há favelas que não há como deixar tão para depois, principalmente em áreas turisticas.

    De qualquer forma quem está urbanizando as favelas é a Prefeitura, enquanto a Secretaria Estadual de Segurança está pacificando.

    ResponderExcluir

Clique aqui para deixar um comentário. Caso você não tiver uma conta Google, assine o seu nome abaixo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta o nosso site com o facebook e Google+