quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Guerra do Rio de Janeiro contra a violência

Bandidos usam terror como medida desesperada em momento decisivo para Fim da Violência e Tráfico no RJ

http://www.woostercollective.com/2007/01/30/favelapainting3.jpg

Todos já estão por dentro das horas de horror ao qual o Rio de Janeiro foi acometido, mas é lamentável que a imprensa brasileira não diga o porquê disso tudo, mesmo a imprensa estrangeira lembrando. Todos os leitores desse Blog ou qualquer rede de noticia sabem dos projetos de pacificação de favelas de toda cidade, que tem como foco de acabar com os Traficantes e Milícias em todas as favelas do Rio de Janeiro até o ano de 2020. Sem contar os investimentos em segurança que tem deixado o Rio de Janeiro mais seguro quebrando recordes de queda de violência. Por isso os traficantes entraram em pânico e com uma tática desesperadora - e covarde - causou esse tumulto na cidade como represália, que apesar do pânico, causou poucas mortes, diferentes de ataques similares que já aconteceu em outras cidades latinas, inclusive no Brasil.

Um dos maiores problemas de hoje foi certamente na Vila Cruzeiro, na Penha, que sofreu com os atentados e o terror dos traficantes. Mais eis uma boa noticia: A favela já foi dominada pela Polícia Cívil, ocupando o morro por tempo indeterminado, expulsando os bandidos. Porém o Complexo do Alemão continua a ser um problema grave.

A culpa disso tudo certamente foram dos políticos (Incluindo FHC) que apoiaram o crescimento da favelização e a centralização do poder nas mãos de traficantes, deixando chegar a esse ponto. E olha que tem gente que foi contra a criação de muros em favelas. Mas felizmente o projeto de pacificação tem dado certo para ajudar a Cidade Maravilhosa a respirar melhor.

Várias escolas, creches e universidades de toda a cidade do Rio de Janeiro e São Gonçalo não terão aula hoje a noite e nem toda a sexta-feira, principalmente na zona oeste e zona norte da Cidade. A Prova Rio nessas escolas será aplicada na próxima semana. Haverá aula normal na UERJ e UFRJ. Já na Gama Filho e Estácio não haverá aula em todas as unidades do Rio e Grande Rio. Algumas unidades da Unisuam e IFRJ também.

Jornais do mundo todo falaram do problema que aconteceu na cidade mais importante da América do Sul.

A BBC News (Inglaterra) comentou sobre o uso de blindados, mas também deu importância a pacificação nas áreas carentes da cidade. O Clarin (Argentina) também comentou o mesmo.

O El Pais (Espanha) disse que o "Rio manda tanques a favelas na batalha decisiva contra o narcotráfico", mas também lembrou que a cidade sediará os Jogos de 2016 e esse é o momento que a violência do Rio de Janeiro está em seu momento crucial para acabar.

O Washington Post (EUA) falou dos blindados da Marinha e os veículos queimados por bandidos. O periódico lembra a criação das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) e que estas unidades fazem parte dos esforços das autoridades do Rio de Janeiro para dar mais segurança à cidade.

A emissora RT (Russian Today) falou dos tiros e veículos incendiados, e a rede Al Jazeera mostrou fotos dos traficantes.

Novas informações serão publicada e acompanhadas por esse blog.

Texto escrito e publicado por Rafael Oliveira, 25 de Novembro de 2010
Foto: Favela Vila Cruzeiro, zona norte


O jornal espanhol "El Pais" falou essa manhã sobre a ocupação da polícia na Vila Cruzeiro. O argentino "La Nacional" disse que muitos evitam sair de casa nessa sexta-feira. O BBC da Inglaterra afirmou que a polícia brasileira "assumiu o controle do reduto de gangues".

O jornal inglês "The Guardian" destacou que o Rio luta para acabar com o tráfico na cidade, antes da realização da Copa e dos jogos Olímpicos e lembrou o trabalho das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP).

Texto escrito e publicado por Rafael Oliveira, 26 de Novembro de 2010 (11:30am)

3 comentários:

  1. Você não sabe de nada sobre favelização, pois chegar a falar de política, nem tudo é explicável!
    Seu comentário sobre a guerra do tráfico é dividida em partes reais e fantasiosas.

    Camila Silva

    ResponderExcluir
  2. Não acho não, Camila.
    Acho q o texto está bem resumido, pois não dá p/ expor realmente o q acontece no Rio num espaço de texto q tem q ser pequeno mesmo.

    Acredito q se o Rafael, q ama o Rio e é super antenado com o q acontece com a cidade tivesse espaço, lembraria de anos de desmandos dos 2 Governos fatídicos do Brizola e do Darcy Ribeiro, q insistia em dizer q favela não era problema e sim solução e proibia a policia de subir a morros. Lembraria tb de outros governos populistas q incentivaram tantas ocupações em troca de votos, lembraria tb de uma migração descomunal por parte de Nordestinos ao sudeste (SP/RJ), durante as grandes secas no NE, entre 1950/60. Lembraria q Esse crescimento de 25 favelas/ano no Rio sempre foram uma tragédia anunciada... Lembraria q o carioca, infelizmente tende a ¨glamurizar¨ favelas, se mentindo em acreditar naquela imagem do malandro de blusa listrada e chapél, tão comum nos filmes de Carmen Niranda, dos anos 40. Hj o malandro se tornou o traficante, armado até os dentes, por pura exclusão do estado. E quem paga o pato é a própria população q tanto bate palmas p/ as favelas...
    São tantas coisas a serem ditas a respeito q não teríamos espaço p/ tal.

    Quanto as UPPs, tenho dúvidas, pois me parece uma solução mais política, do q uma solução em segurança pública. É óbvio q emergencialmente é válida. Mas tem se mostrado mais um estratégia de varrer p/ debaixo do tapete, do q efetivamente resolver. O Estado adotou a política de ¨não conflito¨, pois achou q não seria legal ter na imprensa, imagens de bandidos sendo retirados sendo carregados em lençóis pingando sangue. Então os bandidos eram avisados e fugiam, sem conflito nem nada.
    E aconteceu todos estamos vendo! ...Se reagruparam na Penha e só agora estão sendo enfrentados de verdade. Chato é saber q se não fossem essa série de atentados, não teríamos essas ações. Pois todos nos, q lemos jornais, sabíamos q tinham mais de 600 bandidos no complexo de favelas do Alemão...
    Só queria entener como as coisas vão ocorrer daqui p/ frente, pois se temos no Rio, aproxim. 1000 favelas e até agora foram pacificadas somente 13 e a previsão até 2016 serão de 40. me digam o q vai acontecer com as outras 960?
    Dúvidas e questionamebtos a parte, estamos todos torcendo por um Rio sem favelas e principalmente sem violência.

    ResponderExcluir
  3. Não acho não, Camila.
    Acho q o texto está bem resumido, pois não dá p/ expor realmente o q acontece no Rio num espaço de texto q tem q ser pequeno mesmo.

    Acredito q se o Rafael, q ama o Rio e é super antenado com o q acontece com a cidade tivesse espaço, lembraria de anos de desmandos dos 2 Governos fatídicos do Brizola e do Darcy Ribeiro, q insistia em dizer q favela não era problema e sim solução e proibia a policia de subir a morros. Lembraria tb de outros governos populistas q incentivaram tantas ocupações em troca de votos, lembraria tb de uma migração descomunal por parte de Nordestinos ao sudeste (SP/RJ), durante as grandes secas no NE, entre 1950/60. Lembraria q Esse crescimento de 25 favelas/ano no Rio sempre foram uma tragédia anunciada... Lembraria q o carioca, infelizmente tende a ¨glamurizar¨ favelas, se mentindo em acreditar naquela imagem do malandro de blusa listrada e chapél, tão comum nos filmes de Carmen Niranda, dos anos 40. Hj o malandro se tornou o traficante, armado até os dentes, por pura exclusão do estado. E quem paga o pato é a própria população q tanto bate palmas p/ as favelas...
    São tantas coisas a serem ditas a respeito q não teríamos espaço p/ tal.

    Quanto as UPPs, tenho dúvidas, pois me parece uma solução mais política, do q uma solução em segurança pública. É óbvio q emergencialmente é válida. Mas tem se mostrado mais um estratégia de varrer p/ debaixo do tapete, do q efetivamente resolver. O Estado adotou a política de ¨não conflito¨, pois achou q não seria legal ter na imprensa, imagens de bandidos sendo retirados sendo carregados em lençóis pingando sangue. Então os bandidos eram avisados e fugiam, sem conflito nem nada.
    E aconteceu todos estamos vendo! ...Se reagruparam na Penha e só agora estão sendo enfrentados de verdade. Chato é saber q se não fossem essa série de atentados, não teríamos essas ações. Pois todos nos, q lemos jornais, sabíamos q tinham mais de 600 bandidos no complexo de favelas do Alemão...
    Só queria entener como as coisas vão ocorrer daqui p/ frente, pois se temos no Rio, aproxim. 1000 favelas e até agora foram pacificadas somente 13 e a previsão até 2016 serão de 40. me digam o q vai acontecer com as outras 960?
    Dúvidas e questionamebtos a parte, estamos todos torcendo por um Rio sem favelas e principalmente sem violência.

    ResponderExcluir

Clique aqui para deixar um comentário. Caso você não tiver uma conta Google, assine o seu nome abaixo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta o nosso site com o facebook e Google+